Você está aqui


Ao proferir palestra sobre a influência da ECA/USP no pensamento mundial em torno à comunicação social, durante o Seminário “ ECA, 50 anos” nos dias 27 e 28 de setembro, o brasilianista Joseph Straubhaar, da Universidade do Texas, em Austin, Estados Unidos, destacou  que a sistematização do conceito da educomunicação foi um dos mais importantes legados recentes da ECA para os estudos de comunicação em todo o mundo. 
Ao apresentar a lista dos tópicos mais significativos do pensamento ecano, Straubhaar justificou que, para identificá-los, procedeu a uma consulta junto a 34 especialistas norte-emericanos que lidam com temas de comunicação e cultura relacionados ao Brasil.
 
 
Prof. Joseph Straubhaar 
 
No caso da Educomunicação, ouvi, entre outros, a Kathleen Tyner, considerada uma das mais brilhantes pesquisadoras Media Litercy em atividade nos Estados Unidos, autora de livros como Media Literacy: New Agendas in Communication (Routledge, 2010).
 
De acordo com o pesquisador, o pensamento da ECA sobre o tema chegou a América Latina, Europa, Estados Unidos e África.
 
Ao referir-se à sistematização do pensamento educomunicativo, Joseph Straubhaar lembrou nomes como os de Osvaldo Sangiorgi e Ismar Soares, acrescentando que se trata de um pensamento elaborado coletivamente, envolvendo outros pesquisadores. 
 
No auditório, interagindo com o convidado internacional, encontravam-se alguns dos especialistas integrantes da Escola Ecana de Educomunicação: Margarida Kunsch, coordenadora do clássico Comunicação & Educação Caminhos Cruzados (1986),  Adilson Citelli, editor da Revista Comunicação & Educação, Maria Immacolata Vassalo de Lopes (especialista em estudos de recepção),além da nova geração de pesquisadores, como  Cristina Mungioli, Marciel Consani, Richard Romancini, Claudemir Viana, todos vinculados à Licenciatura em Educomunicação, além da ex-aluna especialização do CCA, Maria Rehder.