Você está aqui


 

Cleonildi Tibiriça

Lucilene Cury

 

Osvaldo Sangiorgi, nascido em 09 de 05 de 1921, licenciou-se em Física pela USP, fez mestrado em Lógica, pela Universidade do Kansas e doutorado em matemática também pela USP. Por meio de uma bolsa de estudos, em 1961, fez parte do staff mundial da matemática, que discutiu, entre outras coisas, a formação escolar da criança. Tornou-se livre docente da ECA em 1977 e professor titular em 1990. Lecionou na Universidade do Kansas (EUA), no Institut Eupen (Bélgica) e no Instituto de Cibernética de San Marino. Lecionou também em outras universidades da América, Europa, África e Ásia. Seu nome, mais do que nenhum outro, está diretamente associado à introdução do ensino da Matemática Moderna no Brasil.

 

Ele redesenhou um novo perfil para a matéria nos anos 1960, nos Estados Unidos. Na ocasião, o presidente John Kennedy convidou matemáticos de vários países para se juntar aos norte-americanos e estudar modos de superar a União Soviética (que havia pioneiramente lançado o satélite artificial Sputnik, em 1957) na corrida ao espaço.

 

O professor integrou a Comissão de Tecnologia da Educação, o Grupo de Ensino de Matemática, o Centro Paulista de Rádio e Televisão Educativas e vários colegiados oficiais voltados ao aprimoramento da pedagogia da matemática. Também desenvolveu estudos em Cibernética Pedagógica associada ao Esperanto (a língua universal).

 

Sangiorgi coordenou cursos precursores da TV Educativa (Telescola) no Brasil, pois acreditava que a erradicação do analfabetismo passava por fórmulas abrangentes que utilizassem toda a potencialidade dos meios de comunicação.

 

Publicou 84 livros entre 1954 e 2000. Depois de 20 anos de dominância no mercado de livros didáticos, decidiu suspender a edição de livros de Matemática Moderna, na década de 1980, quando os julgou ultrapassados. Em 2000 recebeu o Título de Professor Emérito da Universidade de São Paulo. Seu discurso foi publicado na Revista Comunicação & Educacão e pode ser acessado aqui.

 

Como docente na ECA ministrou aulas na Graduação - Teoria da Informação e, a partir da década de 1980, na Pós-graduação, a disciplina intitulada: Novas Tendências da Informação (Cibernética Pedagógica e Robótica Educacional), que dava suporte aos estudos teóricos na área da Tecnologia Educacional.

 

Em 1987, assumiu a Presidência da Comissão de Informática da ECA e, em maio de 1988, propôs ao então Diretor – Prof. Dr. Walter Zanini, a implantação do Plano Diretor de Informatização da ECA, que se chamou inicialmente – Centro de Informática de Comunicações e Artes (CICA); depois veio a se chamar Núcleo de Informática de Comunicações e Artes (NICA), hoje denominado – Serviço Técnico de Tecnologia e Informação (STI-ECA).

 

Aliado ao tema, idealizou e criou em 1994, o Grupo de Pesquisa denominado Cibernética Pedagógica, certificado pelo CNPQ, desde 25 de março de 2004, com a seguinte denominação: Grupo de Pesquisa CNPQ – Cibernética Pedagógica   – Laboratório de Linguagens Digitais – LLD - (ECA/USP), desde 25 de março de 2004.

 

Acesso para o Diretório do Grupo na Plataforma Lattes do CNPQ: dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/6665925500926830

 

O Grupo, em sua nova estrutura, realiza pesquisas para estudar, principalmente, no contexto da globalização, a influência da rede mundial de computadores e das tecnologias digitais na vida real, a fim de melhor compreender as relações existentes entre o digital e o humano, assim como as relações entre a comunicação/educação, de modo interdisciplinar. link para o site do Grupo: www.eca.usp.br

 

Seu caráter inovador o levou a criar o núcleo de informática da ECA, que tinha predominantemente o fim de atualizar os professores e alunos na área da computação; da informática e da teoria da informação. O NICA em 1987, como veio depois a ser chamado, é hoje denominado STI, que abriga, dentre outros serviços a   Sala Pró-Aluno, com disponibilidade de computadores e acesso à Internet a todos os alunos da ECA e é considerada uma das melhores da USP.

 

Foi chefe do Departamento de Comunicações e Artes – CCA -  onde atuou como professor e pesquisador na área de informação e comunicação até o início dos anos 2000. e, com sua abordagem teórica e metodológica dos estudos da Comunicação e da Educação, pode ser considerado um dos precursores do Curso de Licenciatura em Educomunicação, em funcionamento desde 2011, atualmente com 178 alunos matriculados.

 

Faleceu em 06/07/2017 – A ele a Gratidão e o Respeito de todos nós do CCA!

 

 

 

 

Lucilene Cury é professora doutora pela Departamento de Comuniações e Artes da ECA-USP e foi orientanda de mestrado do Professor Osvaldo Sangiorgi. Cleonildi Tibiriçá é docente de educação superior tecnológica do Centro Paula Souza e foi orientanda da professora Lucilene Cury.