Você está aquiAtividades de Cultura e Extensão do CCA

Atividades de Cultura e Extensão do CCA


 

Entre os dias 31 de março a 2 de abril de 2015, o Congresso Internacional da IBERCOM, promovido pela  AssIBERCOM – Associação Ibero-Americana de Comunicação ECA-USP reuniu, na Escola de Comunicações e Artes da USP, um grupo de pesquisadores interessados no tema da Educomunicação.

A coordenação colegiada da Divisão temática em Educomunicação esteve a cargo dos professores Adilson Citelli – Universidade de São Paulo (Brasil), Delia Crovi – Univ. Nacional Autónoma de México (México).  Gustavo Cimadevilla - Univ. Nacional de Río Cuarto (Argentina) e Manuel Pinto – Universidade do Minho (Portugal).

Foram apresentados 40 papers, entre os quais: “As Mídias Sociais e A Ampliação da Oferta de Oportunidades Educacionais em Educomunicação”, de Cátia Luzia Oliveira da Silva e Andrea Pinheiro Paiva Cavalcante; “De que inclusão falamos? Desconstruindo o mito do “nativo digital” numa escola de periferia, de Edelvira Aída da Silva Moreira;  “O Engajamento com a Plataforma Khan Academy na Escola Pública: Um olhar educomunicativo”, de Elisangela Rodrigues da Costa e o “O uso das TICs nas escolas: A voz dos professores”, de Maíra Darido da Cunha e José Luís Bizelli. 


 

cartaz_cpctpierre2015.png


No VI Educom III Educom Sul realizado em Porto Alegre, nas dependências da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, o tema principal foi a “Educomunicação e a Diversidade”, abordado de maneira transversal a 6 eixos temáticos, e que propiciou diversos espaços para trocas de experiências, de pesquisas e reflexões entre pesquisadores, professores, alunos, e profissionais de diversas áreas. As principais atividades foram organizadas em quatro mesas-redondas, 22 grupos de trabalho, e 6 oficinas de práticas educomunicativas.

 

Professores e alunos da Licenciatura em Educomunicação no VI Educom III EducomSul

 
O evento também foi importante para o fortalecimento de redes de instituições e pesquisadores latinoamericanos focados na interface comunicação/educação,  ou que têm a educomunicação claramente como objeto ou paradigma das ações profissionais. 
 
Neste sentido, o VI Educom III EducomSul viabilizaram importantes parcerias. Primeiramente, com a PUC/RS, que acolheu a todos com muita atenção e carinho. Depois, as importantes parcerias da Universidade Federal de Santa Maria, da ABPEducom - Assossiação Brasileira de Pesquisadores e Profissionais em Educomunicação, e o NCE/USP – Núcleo de Comunicação e Educação, promotores e organizadores do evento. E, por fim, articulação com organizações internacionais, como foi o que se deu com a FLACSO – Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais, o OLCAMI – Organização Latino-Americana e Caribenha de Alfabetização Midiática e Informacional, ambas com articulações com a ONU e UNESCO.  
 
Neste sentido, o evento ainda promoveu  uma mesa redonda dedicada ao tema no cenário internacional, e foi realizada uma reunião entre alguns pesquisadores convidados, representantes de diversas instituições do Brasil e da América Latina, para avançarmos no diálogo internacional visando futuras ações conjuntas.
 
A Licenciatura em Educomunicação esteve muito bem representada no evento, e de diversas maneiras. Primeiramente, com professores que atuaram diretamente na organização do evento, como o prof. Dr. Ismar de Oliveria Soares, coordenador geral, e o prof. Dr. Claudemir Viana, secretario executivo do evento.  O evento contou com a especial participação do prof. Dr. Adilson Citelli que mediou uma mesa-redonda e  recebeu o Prêmio Mariazinha Fusari de Educomunicação, na categoria pesquisador, em reconhecimento à sua dedicação à pesquisa, à docência e à produção científica no campo da educomunicação. Também participaram do evento a profa. Dra. Cristina Mungiolli, o prof. Dr. Marciel Consani, dentro outros colegas colaboradores da Licenciatura e do NCE que também estiveram presentes.
 
Alunos da Licenciatura participaram, inclusive com apresentação de trabalhos, como foi o caso de Isabela Rosa, com o tema “Educomunicação e identidade negra: uma imersão na temática”,  e de  Carlos Alberto Maffei Filho, que apresentou resultados de sua Iniciação Científica intitulada “Readequar, disponibilizar e ampliar o acervo do Núcleo de Comunicação e Educação (NACE-NCE ECA/USP), e com o apoio da Licenciatura em Educomunicação”, e de Natália Rosa Muniz Sierpinski, com o tema, Heróis e Educadores: duas oficinas educomunicativas desconstruindo estereótipos”.

A disciplina Educomunicação Socioambiental, criada em 2014 pela Licenciatura em Educomunicação da ECA/USP, tem desenvolvido projetos cujo desafio é buscar soluções sustentáveis para a melhoria da qualidade de vida da comunidade USP e seu entorno. Esta é a conclusão da Profa. Sueli Fulan, do Curso de Geografia, que tem colaborado com o Departamento de Comunicações e Artes da ECA, responsável pela licenciatura, para a implementação do proposta.

A disciplina é optativa, fato que permite a inscrição de alunos dos diversos cursos dos campi da USP, propiciando o desenvolvimento da interdisciplinaridade na busca de soluções para os desafios e novos paradigmas da educomunicação socioambiental. 
 
Os temas, escolhidos e trabalhados pelos alunos, versaram, em 2014, sobre a mobilidade, a água e a reciclagem, tendo como produtos blogs, vídeos, passeio ciclísticos em torno das águas do campus USP/Butantã, plantação de ipês na ECA, entre outros. Já em 2015, os temas que estão sendo desenvolvidos pesquisam sobre as aves, os sapos, as hortas, telhados verdes, a crise da EACH e o uso do xerox na USP, tendo como produtos programas de rádio, vídeos, cartazes, jornais, construção de horta na laje, entre outros. 
 
Inovando estratégias pedagógicas chegará à Rádio, à TV, ao Jornal e ao Portal USP
 
As questões levantadas por esta disciplina têm conseguido aproximar os alunos de outros departamentos, seus professores e várias áreas de conhecimento, possibilitando inovar estratégias pedagógicas, alimentando uma reflexão crítica com o objetivo de desenvolver práticas de Educação Ambiental (EA) que ajudem nas mudanças de hábito e comportamento dos frequentadores dos campi da USP.  O exercício do direito à comunicação desenvolvido nessa disciplina está ligado ao fortalecimento da identidade de seus participantes, à construção de um sentido de comunidade, à potência de ação e à promoção do diálogo de saberes.
    
Segundo Carmen Gattás, colaboradora da disciplina e que recentemente defendeu tese de doutoramento sobre o tema, “a EA quando pensada de forma interdisciplinar contribui para relacionar as áreas do saber que se apresentam compartimentadas, propiciando a relação de umas com as outras”. No caso específico da disciplina Educomunicação Socioambiental o que tem prevalecido, segundo Gattás, é “a criação de estratégias inovadoras, que levam em consideração a complexidade ambiental e o desenvolvimento científico e tecnológico, garantindo a implementação de projetos socioambientais por alunos de diversos cursos da USP.
 
O resultado deste esforço poderá ser visualizado brevemente pela disponibilização de spots radiofônicos e a veiculação de programas em vídeo, numa parceria da Licenciatura em Educomunicação com a Rádio, a TV, o Jornal e o Portal USP.
 

 

USP dialoga com professores da rede pública, com participação do NCE

O Instituto de Física recebeu nos  dias 11 e 13 de julho de 2015, o Prof. Ítalo Dutra, diretor de Currículos e Educação Integral do MEC, para discutir o documento que está sendo finalizado para consulta pública sobre o Currículo Nacional Comum. 

 

 

Participações do NCE/USP 

 

O NCE/USP é um dos membros do núcleo gestor do USP-ESCOLA. Caberá ao NCE oferecer aos 35 professores que participarão da atual edição deste programa o curso de extensão intitulado Educação Midiática e Práticas Educomunicativas. Participaram da atividade como palestrantes e mediadores das atividades especialistas formados pela ECA/USP e alunos da Licenciatura em Educomunicação, a saber:

 

1 – Educomunicação e Educação midiática nas diversas perspectivas teórico-metodológicas - Prof. Claudemir Viana

 

2 - Educomunicação na cultura digital - Prof. Claudemir Viana e Raíra Torrico, Carla Grella, César Diaz, Danielle Fidelis (alunos do 3º. Semestre Licenciatura em Educomunicação).

 

3 - Praticas Educomunicativas e currículo escolar Educomunicação Socioambiental - Profª Carmen Gattás

 

4  – Educomunicação e cinema - Profª Claudia Mogadouro

 

5 – Gestão de processos educomunicativos - Prof. Claudemir Viana, Jurema Brasil e Carlos Maffei (aluno 5º semestre Licenciatura Educomunicação)

 

6 – Praticas Educomunicativas na escola:  Fanzine e HQ - Profª Salete Soares

 


O curso de Educomunicação da ECA/USP participou da Virada Sustentável no Parque da Previdência no dia 29 de Agosto de 2015. Além dos alunos de Educomunicação da ECA/USP, participaram do evento várias escolas da região do Butantã (EMEIs e EMEFs), escolas particulares, escola do município de Barueri , Setor de Alimentação da DRE-BT além da Equipe do GT de Sustentabilidade da Diretoria Regional de Educação do Butantã – DRE-BT.

 

 

Os alunos de Educomunicação, juntamente com a Profa. Dra. Carmen Gattás (colaboradora na disciplina Educomunicação Socioambiental), participaram dos relatos orais no auditório do Centro de Educação Ambiental do parque onde apresentaram a proposta desta disciplina e alguns projetos nas linguagens radiofônica e vídeo. 

 

 

Nas fotos, o aluno Pedro Coelho apresentando o projeto sobre as hortas do Campus Butantã/USP, André Noro (sentado) apresentando um áudio sobre os sapos e a Profa. Carmen falando sobre o nascimento desta disciplina e seus projetos. Todos os trabalhos apresentados foram comentados e debatidos numa roda de conversa com o Prof. Pedro Jacob (USP) e Carolina Balparda da Cidade de Rosário na Argentina.

 


 

 

V Encontro Obitel reune pesquisadores e profissionais da TV na ECA-USP

O V Encontro OBITEL BRASIL reuniu pesquisadores da ficção televisiva e profissionais da TV para debater questões referentes à cultura de fãs e à cultura da participação, mesclando reflexões sobre TV e internet. 

O evento foi promovido pelo Centro de Estudos de Telenovela da ECA-USP e Globo Universidade e aconteceu nos dias 8 e 9 de outubro, das 9h à 17h, no Auditório István Jancsó , Complexo Biblioteca Brasiliana, na Universidade de São Paulo (USP). Contou com o lançamento do 4ª volume da Coleção Teledramaturgia “Por uma Teoria de Fãs da Ficção Televisiva Brasileira” assim como a apresentação das pesquisas realizadas pelos grupos participantes do OBITEL Brasil.

Confira a programação:

 

8 de outubro

9h – Café da manhã e boas-vindas

9h30 – Abertura

10h - Mesa Comemorativa: 50 anos da Globo

11h – Mesa: Temas Sociais e Ações Socioeducativas em Telenovelas

12h30 – Almoço

14h - Mesa 1:  Elementos para uma teoria de fãs no Brasil 

14h – 14h30: A autoconstrução do fã: performances e estratégias de fãs de telenovela na internet

Coordenadoras: Profa. Dra. Maria Immacolata Vassallo de Lopes e Profa. Dra. Maria Cristina Palma Mungioli (OBITEL BRASIL/USP)

14h30 – 15h: Fãs de telenovelas: construindo memórias – das mídias tradicionais às digitais 


 

II Seminário Anhembi Morumbi de Comunicação e Educação: Educomunicação para uma vida melhor

 

O contexto social crescentemente midiático tem favorecido práticas e reflexões sobre a relação entre comunicaçãoeducação socioambiental e saúde integral a partir de referências teórico-metodológicas ancoradas na Educomunicação. Mais recentemente projetos, programas e políticas públicas nas áreas de meio ambiente e da saúde têm recorrido à educomunicação como campo de conhecimento para fundamentar a exploração de recursos, metodologias e estratégias de atuação. 

Por conta do crescimento destas demandas a Universidade Anhembi Morumbi une-se novamente à ABPEDUCOM e ao NCE/ECA-USP e promove o II Seminário Anhembi Morumbi de Comunicação e Educação, de 28 a 30 de outubro. São três dias de debates, mesas redondas, apresentação de trabalhos e oficinas, no Campus Centro.  E, dessa vez, além da Escola de Comunicação e Educação, a parceria é também com a Escola de Saúde.  

 

 


No dia 12 de novembro de 2015, foi promovido, no Auditório Lupe Cotrim, no prédio central da  ECA/USP, a Jornada ABCA - Pensando a Arte na América Latina.

O encontro debateu a arte latino-americana a partir do trabalho de pesquisa de his­toriadores e críticos de arte vinculados à Associação Internacional de Críticos de Arte, atuantes no cenário do ensino, pesquisa e curadoria de arte. O evento insere-se no campo de interesse das ações de duas pós-graduações da USP – o Prolam, Programa de Pós-Grad­uação em Integração da América Latina e o PGEHA, Programa de Pós-Graduação em Estética e História da Arte e volta-se ao público universitário e ao público interessado, em geral.
 
O seminário parte de uma tradição de estudos sobre arte latino-americana que aponta um campo de trabalho interessado pelas mais diversas relações de sincretismo, hibridação e apropriação presentes na prática de artistas comprometidos com as realidades de territórios culturais em transformação.
 
 

 

 


 

Seminário sobre comunicação e educação promove debate sobre o temada educomunicação e saude

 

O II Seminário Anhembi Morumbi de Comunicação e Educação ocorreu nos dias 28, 29 e 30 de outubro e teve como temática Educomunicação para uma vida melhor. O evento contou com mesas redondas, oficinas, apresentação de trabalhos acadêmicos. O espaço propiciou aos alunos da Licenciatura  em Educomunicação do CCA-ECA um ambiente para aplicação de seus conhecimentos, uma vez que cinco oficinas foram aplicadas por cerca de trinta alunos do curso.

As oficinas construídas durantes as aulas de Atividades Acadêmicas, Científicas e Culturais abordaram diversos temas, sendo eles: gênero e sexualidade, movimentos sociais, juventude, Base Nacional Comum Curricular e democratização dos  meios de comunicação.
 
Para a participante Carine Nascimento, que aplicou a oficina Trilhando a Base Nacional Comum Curricular para sete participantes, dentre eles pesquisadoras da Universidade Federal de Uberlândia, “A experiência de falar com pessoas que estão no ramo, que lidam com educomunicação e tem mais experiência, conversar com elas sobre o que nos aflige ajuda muito.”
 
Segunda Sattva Orasi, que ministrou a oficina sobre gênero e sexualidade, a discussão foi bem produtiva, “Tinha jovens de treze anos e foi interessante porque a  gente foi aprendendo a filtrar algumas coisas, pois estávamos trabalhando com esse público” Além das oficinas, alguns alunos de educomunicação puderam apresentar trabalhos acadêmicos e participar de discussões com pesquisadores de diferentes temáticas. 
 

Além do envolvimento dos alunos, os professores da Licenciatura também participaram ativamente da organização, como é o caso da Prof. Dr.ª Claúdia Lago, o Prof. Dr. Claudemir Viana e Marciel Consani.
 
O evento contou com a presença da Imprensa Jovem, um grupo de adolescentes do ensino fundamental do Município, que participou de diversas atividades para produzir a cobertura educomunicativa do o evento.
 
O espaço de troca de conhecimento levou os participantes a promover um diálogo importante para odesenvolvimento da área da comunicação e educação.
 

Texto e fotos: ​Andressa Caprecci (Labidecom)

 
 
 

Encontro LABIDECOM promove palestra sobre mercado de trabalho

 

Estudantes de Educomunicação relatam suas experiências profissionais para inspirar colegas

 

Andressa Caprecci

Tatiana Carvalho

(Labidecom)

 

 

O Laboratório de Inovação, Pesquisa e Desenvolvimento em Educomunicação promoveu na última quarta-feira, 25 de novembro de 2015, a primeira edição do Encontro LABIDECOM com o tema mercado de trabalho. O encontro visa promover o diálogo, integração e valorização dos alunos da Licenciatura em Educomunicação. Dessa forma o LABIDECOM convidou os(a) estudantes Isabela Rosa e Maurício Silva , ambos da primeira turma da licenciatura, e Alexandre Moreira da segunda, para relatar suas experiências com educomunicação no mercado de trabalho.

 

Com cerca de quinze participantes, dentre eles o professor Dr. Richard Romancini, o encontro contou com relatos que mostraram as possibilidades que os alunos estão encontrando de se posicionar no mercado e exercer a profissão educomunicador(a). Isabela, que atualmente trabalha no colégio João Friaza, e já atuou em seis instituições, entre elas os Institutos Paulo Freire e Lina Galvani, afirmou que o que “abriu as portas” para as suas experiências foi o fato de cursar a Licenciatura em Educomunicação. Para ela, a profissão já está conquistando espaço.

 

O convidado Maurício relatou que sua primeira  experiência ocorreu já no quarto mês da graduação, quando foi trabalhar como tutor do curso de mídias na educação oferecido pelo MEC. Atuou também na Revista Viração e atualmente foi convidado para atuar com  produção de vídeo na escola Amorim Lima pelo programa Mais Educação, trabalhando com vinte adolescentes com conceito técnico e reflexão sobre conteúdo.

 

Por fim, Alexandre Moreira descreveu sua experiência com o Projeto Redigir. O estudante ressaltou que essa vivência foi importante para sentir a educomunicação na sala de aula, os diferentes perfis de aluno, o pouco tempo de aula e o grande desafio de contribuir para a vida do individuo norteiam o seu cotidiano como educador desse projeto de comunicação e cidadania. Atualmente trabalha com educação a distância no SEBRAE São Paulo, fazendo a gestão de projetos de EaD. Ele salienta a importância dos estágios na formação do educomunicador.

 

Os três convidados demostraram as possibilidades de atuação, sendo em sala de aula, gestão de projetos, aplicação de oficinas e muitas outras práticas que envolvem a profissão. Os relatos puderam incentivar os alunos que ingressaram no curso recentemente e mostrar que a educomunicação tem espaço no mercado de trabalho.