Você está aquiEducomunicação ganha espaço em São João del Rei

Educomunicação ganha espaço em São João del Rei


Super Destque da Notícia: 
1
Feed XML

Durante os meses de setembro e outubro de 2017, a Educomunicação tem sido objeto de debates no Estado de Minas Gerais: entre 27 e 28 de setembro, a conversa sobre o tema mobilizou a Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ), já entre 22 e 26 de outubro a reflexão ocorre na Universidade Federal de Juiz de Fora. Dedicamos o presenta postagem ao evento ocorrido na cidade histórica de São João, reservando para novembro a reportagem sobre o debate em Juiz de Fora.

 

Na UFSJ: Educomunicar para Refletir e Mobilizar

 

O encontro de São João del Rei teve como tema: "Educomunicar para Refletir e Mobilizar". Foi coordenado pela Profa. Filomena Bomfim, com a colaboração dos membros do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educomunicação (GEPEducomufsj), além de estudantes de Jornalismo e de diferentes Licenciaturas oferecidas pela UFSJ.

O evento contou com o lançamento de um livro, uma série de workshops e uma palestra magna.Reproduzimos as informações que os alunos Camille Gallo, Beatriz Estima e Daniel Ubiratan produziram  ao longo dos dois dias de atividades.

 

Professora Filomena Bonfim (UFSJ) - Fotos de Icaro Chaves

 

Conversando sobre Educomunicação, com o professor Ismar

 

O contato dos estudantes de São João del Rei como professor Ismar ocorreu em dois momentos distintos, no dia 28 de setembro. O primeiro, informal, no saguão do prédio principal da Faculdade de Comunicação, realizou-se entre as 17hs e as 18hs, reunindo um grupo de estudantes de Jornalismo, aos quais se somaram alunos de diferentes Licenciaturas, bem como professores do Colégio Auxiliadora, das Irmãs Salesianas.

 

O Professor respondeu a questões propostas pelo público a respeito da relação histórica dos profissionais do jornalismo com o que hoje se denomina como prática educomunicativa. Revelou que jornalistas críticos à concentração do poder de informar nas mãos da mídia hegemônica, nas décadas de 1970 e 1980, ofereceram uma colaboração decisiva para o surgimento da “imprensa alternativa”, comprometida  com as causas sociais. Apontou, por outro lado, para o trabalho de inúmeros jornalistas da grande mídia, em favor de práticas comunicacionais que beneficiam os processos educativos. Já à noite, a partir das 19h30, ocorreu a palestra destinada ao grande público. A conferência aconteceu no Auditório do Campus Tancredo Neves (Ctan). A mesa foi composta pela Superintendente Regional de Ensino, Adriana Leitão; a coordenadora do curso de Jornalismo da UFSJ, professora Luciene Tófoli; o vice-Reitor da UFSJ, professor Marcelo Pereira de Andrade; e as professoras e organizadoras do livro “Transdisciplinaridade & Extensão: Signos da Educomunicação no Brasil”, Maria José Neto e Filomena Bomfim, além do palestrante.

O Prof. Ismar começou a palestra contando como crianças e jovens do século XXI utilizam a mídia como ferramenta de transformação do mundo ao seu redor. Em seguida, apresentou inúmeros exemplos de turmas de escolas públicas e privadas como o Educom.rádio (nas escolas da prefeitura de São Paulo) e o Educom.geraçãocidadã (que une estudantes de uma escola privada – Dante Alighieri, e de uma escola pública (EMEF Casa Blanca), que têm a Educomunicação como atividade escolar e explicou de que forma essas práticas influenciam na vida social e escolar das crianças.

No decorrer da palestra, Ismar apresentou obras e autores que, desde o início do século XX, já falavam em uma espécie de Educomunicação. A partir disso, o professor comentou sobre as políticas públicas de educação desenvolvidas no Estado de São Paulo, tendo como viés a forma como os adolescentes consomem a mídia. O professor ainda apontou a comunicação como um fator que favorece a formação em Direitos Humanos, que deve ser ensinado desde a infância, no espaço escolarIsmar salientou, também, que a Educomunicação se faz de forma comunitária: “É somente no coletivo que se dialoga com o sistema de ensino, com as políticas públicas e com as áreas da Comunicação e Educação”, comentou.

 

Oficinas

 

Um conjunto de oficinas práticas envolveram professores da UNSJ, convidados especiais e alunos da graduação, tanto da comunicação quanto das licenciaturas, especialmente da História, Filosofia e Jornalismo. Entre os coordenadores de oficinas salientamos a presença de alunos da PPGCOM da ECA/USP: Bruno Ferreira, Patricia Zummermann e o recém-mestre Douglas Calixto.

 

Transdisciplinaridade & Extensão: Signos da Educomunicação no Brasil

 

A capa do livro e a coordenadora do Grupo de Pesquisa em Educomunicação da UFSJ, Profa. Filomena Maria Avelina Bomfim, que atualmente realiza Pós-Doutorado na ECA USP. O livro foi sendo construído ao longo dos últimos dois anos. Dado o momento de restrição de verbas por parte da universidade pública, seus organizadores optaram pelo formato em e-book. A obra - explica Filomena - nasceu do sonho e de se fazer o registo da prática da Educomunicação no campo.

A sensação de lançar o livro, para a coordenadora, é “de muita alegria”, pois a obra representou o primeiro fruto de seu pós-doutorado realizado na ECA USP, sob a orientação do Professor Ismar de Oliveira Soares: “É o primeiro lançamento de um grupo de pesquisas dedicado à Educomunicação. E isso projeta o campo da Educomunicação no cenário nacional com maior força e vigor. É muito importante também como registro da divulgação dessa expansão do campo de produção de conhecimento que é o da Educomunicação”.

Maiores detalhes sobre o evento em:

https://ufsj.edu.br/noticias_ ler.php?codigo_noticia=6559
https://www.ufsj.edu.br/noticias_ler.php?codigo_ noticia=6572
https://www.ufsj.edu.br/noticias_ler.php?codigo_ noticia=6582